Seu Navegador não tem suporte a esse JavaScript!
 
Data: 15/01/2018 Hora: 09:00:00
Projeto farmacêutico-social

Projeto farmacêutico-social

Projeto Migrar promove atendimento à população carente e sela parceria com seccional do CRF-SP
 

São paulo, 27 de novembro de 2017


Uma iniciativa de estudantes da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) - USP, ganhou apoio da seccional do CRF-SP de Ribeirão Preto e em 2018 sela parceria com local definido, o município de Luís Antônio, interior de São Paulo. Intitulado "Projeto Migrar", é um programa farmacêutico-social que nasceu da necessidade de uma maior aproximação do conteúdo teórico com a aplicação da prática do curso de Farmácia.

O Migrar realiza acompanhamento à população, principalmente as mais carentes de recursos e de informações, com o objetivo de orientar sobre a saúde e práticas que melhorem a qualidade de vida. Alunos de todos os períodos recebem capacitação e, em parceria com a diretoria da universidade, Prefeituras e Secretarias de Saúde, saem das salas de aula e vão para as cidades parceiras, com uma equipe formada por 30 alunos e, num período de 15 dias, realizam algumas atividades. A execução do projeto ocorre em três pilares, que são:           

Análises Clínicas - em que será levado até a cidade destino um laboratório adaptado para realização de exames de avaliação de saúde para a população carente, como forma de contribuir com a prevenção, tratamento e orientação de saúde.

Campo - em que os alunos participantes irão até as casas da população para a divulgação do projeto. As famílias serão orientadas pelos futuros farmacêuticos com orientações gerais de saúde, como o uso correto do medicamento, descarte e higiene. Além de material para coleta de exames.

Campanhas - que servem para orientação e que promovam a saúde e a educação, além de envolver conscientização das pessoas do município, levando em conta suas necessidades.

A diretora regional da seccional de Ribeirão Preto, Dra. Edilaine Braschi Moretti, recebeu o convite para participar da ação em 2016, na cidade de Planura- MG, e segue incentivando o projeto."É um projeto muito bacana. Vamos participar em 2018 também. Eles fazem o acompanhamento com orientação farmacêutica e alguns serviços. É como se fosse um Farmacêutico na Praça, só que na cidade projetada para ser atendida. Além disso, eles também fazem acompanhamento na casa de moradores da região".

Tudo ocorre de forma gratuita e na busca de inovação e ampliação dos serviços prestados a cada ano, agora agrega novas ações dentro das atividades. Alvaro Luís Lamas Cassago, Coordenador Geral do Projeto Migrar, destacou outras metas.

"O Migrar não se resume apenas à promoção da saúde. São realizadas atividades culturais, como oficinas musicais, arte e pintura, incentivo à leitura e informação e capacitação profissional. Campanhas de incentivo à prática esportiva e alimentação saudável, campanha de oportunidades de estudo e trabalho para toda a população".

Cassago falou também da importância do apoio da seccional do CRF-SP para o projeto. "Dentro da faculdade vemos que o Conselho Regional tem como missão orientar e fiscalizar o profissional para torná-lo consciente da importância da conduta ética da profissão com a saúde pública, proporcionando seu desenvolvimento e ainda a satisfação de integrar uma entidade eficaz e de referência como usuário voluntário e funcionário. Mas, queremos que já dentro das salas de aula, nós, alunos, possamos ver que não é apenas isto, que os valores deste órgão são importantes para nosso futuro, tendo em vista que em poucos anos vamos sair da universidade e seremos profissionais farmacêuticos atuantes. Então, para nós, a importância é de realmente aproximar ainda mais os futuros farmacêuticos do Conselho".

O primeiro contato se dá por e-mail com a Secretaria de Saúde da cidade com características que o projeto visa (cidade com pequena população e próxima de Ribeirão Preto). Após uma apresentação é agendada uma reunião presencial para reforçar a parceria e, havendo o interesse da cidade, são realizadas reuniões periódicas para estudar as necessidades da população e assim firmar o acordo.

Os números das "migrações" são relevantes. Nas expedições realizadas em 2016 e 2017, 145 famílias foram atendidas. O que corresponde em média a 400 pessoas com atendimento residencial. E a divulgação segue a todo vapor, a intenção é que, com as campanhas, o número de público atendido dobre.

"Acreditamos que o conhecimento teórico dado em sala de aula já não é o suficiente, pois cada ano que passa os alunos se tornam mais empoderados e independentes para conhecer sua futura profissão, e uma maior aproximação com os profissionais de saúde do CRF facilita este anseio", finaliza Alvaro Luís Lamas Cassago

Enviar esta notícia para um amigo

Reportar erro

Data: 15-01-2018 09:00:00